Fazendo o caminho de Volta

2002-2007 Dionisio Codama Sao Paulo, Brasil http://aimore.net http://aimore.org

“Já estou voltando… Completo agora 41 anos e já estou fazendo o caminho de volta. Até agora eu ainda estava indo…

Indo morar no apartamento mais alto, do prédio mais alto, do bairro mais nobre. Indo comprar o carro do ano, a bolsa de marca, a roupa da moda.

Claro, que para tudo isso, durante o caminho de ida, eu fazia hora extra, fazia serão, fazia dos fins de semana eternas segundas-feiras.

Até que conheci a realidade da vida das pessoas, que como eu, estavam indo. Filhos que chamam as babás de mãe, que são abandonados dentro de casa ou que tem uma rotina de atividades estressante para mantê-los ocupados enquanto seus pais estão nos compromissos das agendas de “estarem indo“…

Mas,  com 40 anos eu estava chegando lá! Onde mesmo? Não sei! Ninguém conseguiu responder!

Imaginei que, quando eu e as pessoas que estavam indo junto comigo, chegassem lá, teria uma placa com a palavra “FIM”.Antes dela, avistei a placa de “RETORNO” e nela, mesmo, dei meia-volta.

Tenho uma casa no campo (maneira chique de falar, mas ela é no meio do mato mesmo, em frente a uma lagoa); que a muito tempo não vinha visitar…

Aqui é longe do prédio mais alto, do bairro mais chique, do carro mais novo, da hora extra, da babá quase mãe, das crianças e animais confinados. Das academias lotadas e das salas de estar  vazias…

Aqui tenho menos dinheiro, mais tempo, mais filho, mais marido, mais comida gostosa na mesa, mais bate-papos em família. Os cachorros daqui estão soltos e brincam no quintal com as crianças que correm felizes e sujam de terra. Aqui vou na casa dos vizinhos, converso na cerca, gasto tempo com as pessoas e visito com frequência meus sogros e pais.

Minha ginastica é uma caminhada no meio da mata, contemplando a natureza, vendo e ouvindo o barulho dos pássaros.Regamos a plantas, meu marido cozinha, arranca mato da grama e planta nossas verduras e temperos.

A varanda me convida a ler um bom livro e a cochilar na rede. As janelas ficam abertas nas noites de verão…

Pena que o verão acaba e tenho que trabalhar… mas vou me lembrando sempre da placa de “RETORNO”, e acho que nela deveria ter um subtítulo que diz assim: “RETORNO – Última chance de você salvar a sua vida!”

Você provavelmente, ainda está indo. Não é culpa sua. É culpa do comercial que disse: “Compre um, leve dois”. Nós da banda de cá, esperamos sua visita. Porque assim, mais dia, menos dia, você também vai querer fazer o caminho de volta…

Família indo curtir a Lagoa
Família indo curtir a Lagoa

Nossa Lagoa...

Cuide do seu tempo! Cuide da sua família! Viva a vida!

Mude sua história!

Até o próximo post,

Érica Carvalho

(Adaptação do texto da jornalista e publicitária Tetê Barbosa)